Seminário:“Revista Espírita de 1861”

O vigor para defender a Doutrina dos Espíritos, a sua pureza doutrinaria, não é tarefa fácil num país que tem ojeriza ao Espírito e aos princípios existenciais. Contudo não é isto ou qualquer outro tipo de perseguição, ou doença, ou dificuldade financeira que irá impedir a mim de continuar.

Este seminário é a continuidade de outros que se iniciaram em 2016. O tema ser A Revista Espírita do Mestre de Lyon Allan Kardec, foi um desejo do pesquisador Espírita Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro, o qual não pode concretizar enquanto encarnado.

A Revista Espírita de 1861 continua a trajetória de defesa e divulgação do Espiritismo, apresenta o trabalho de outros confrades espalhados na Europa e outras partes do planeta com objetivo, assim pleiteado pelo mestre lionês, de unir e instruir ainda mais os espíritas. E, claro, através da Doutrina Espírita Allan Kardec pode elaborar os outros livros da codificação como O Livro dos Médiuns, ampliar O Livro dos Espíritos, O Céu e o Inferno e A Gênese.

É imprescindível o estudo desta obra como as demais e a continuidade as pesquisas aos fenômenos espiríticos, pois, como bem esclarece o querido pesquisador espírita Carlos Bernardo Loureiro: “Sem Allan Kardec não é Espiritismo!” E, ainda, o clássico lema do mestre lionês, também chamado o bom senso encarnado, que o polemista baiano tanto repetia: “Sem o científico o Espiritismo não sobreviverá!”

 

Bons Estudos!”

Cristiane Amaral

(16/09/2019 às 9:20h)

Seminário Revista Espírita 1860

 Nosso terceiro ano realizando no último seminário deste ano o estudo a Revista Espírita elaborada e divulgada com tanta dedicação, organização, pesquisa e raciocínio ímpar pelo mestre de Lyon Allan Kardec. Relembro sempre ter sido o desejo do querido pesquisador espírita Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro ao afirmar que faria um estudo sobre a Revista Espírita. Ainda protestou: “Ninguém fez, nenhum centro espírita aqui na Bahia, nem no Brasil incentiva o estudo da Revista Espírita tão importante para se conhecer o pesquisador francês Allan Kardec! Eu farei, quem estiver aqui verá!” Vimos muitos cursos, palestras, principalmente nas quartas-feiras sobre a Revista, mas não deu tempo para realizar um seminário. Realizei e continuo realizando.

Neste ano de 2018, estudaremos o ano de 1860, mais um ano de muito conhecimento a adquirir com este que é um dos maiores estudiosos da sua época e de vindouras. Além de dedicar sua vida para legar a humanidade a base fundamental teórica e prática da Doutrina dos Espíritos: Ciência e Filosofia com consequências éticas. Lembrando, de novo, e sem nenhum constrangimento, mas reconhecimento a um notável intérprete do pensamento de Allan Kardec, o querido polemista Carlos Bernardo Loureiro: “Até agora não vi nenhuma doutrina que seja melhor! E, olhem que já estudei todas as doutrinas até então! E farei como preconiza o mestre de Lyon Allan Kardec de que se aparecer outra doutrina que supere a doutrina dos Espíritos, então siga!”

Confirmando Bernardo: Não há!

Com toda certeza no estado miserável que se encontra a humanidade não há mesmo, pois só impera o niilismo, a bestialidade das religiões, a violência extrema e ontem, no dia 11 de setembro, marco do exemplo desta violência no ataque terrorista aos Estados Unidos. Demonstração de consequências desastrosas de um império que desgraçou muitas nações por serem pobres e seus territórios ricos de matéria prima. E mais uma vez a truculência e a arrogância dos países ricos que sugam tanto outras nações, mas não são capazes de realizar a solidariedade de sua educação, centros de pesquisa e capacitar assim estas nações repletas de ignorância. Tivemos a notícia da decadência da humanidade ao ouvir a notícia de que mais de 840 milhões de pessoas desencarnam de fome no mundo, e o continente de maior índice é a África que tanto deu diamantes, petróleo e outros bens ao mundo, principalmente a Europa, Estados Unidos, Rússia e China. E o Espírito? E a lei natural? Difícil num planeta que menospreza o Espírito e adora o niilismo!

Assim, como precisamos desde o lançamento d’O Livro dos Espíritos de ter destruído de vez o niilismo e a perversa invenção da “Morte” pelas bestiais religiões. Ao contrário se deu às costas de novo ao Espírito e aos princípios existenciais. Às costas a lei natural e ao “Progresso sem cessar, tal é a Lei! Lembram?!! Esta é a parte final da citação no Dólmen de Allan Kardec no cemitério Père-Lachaise na França:

“Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei!”

Ler o primeiro texto da Revista Espírita de 1860 não só nos anima ainda mais, já que a Doutrina dos Espíritos, sua divulgação e pesquisa, as manifestações dos Espíritos é o leitmotiv da minha vida. Confirmar sempre a estupidez que a sociedade de sua época, as demais, e, até hoje desprezaram o recomeço do bicho homem voltar aos trilhos de seu evolver como espírito reencarnado, livre pensador que deveria lutar para deixar de ser ruim e se esclarecer, pesquisando os fenômenos espiríticos. O que diversas civilizações fizeram antes de Kardec, ocultistas, magnetizadores e o Espírito mais superior que aqui reencarnou Jesus!

Por fim, não desejaram o Espírito e muito menos a pesquisa a mediunidade, pois iniciariam o despertar das potencialidades ontológicas como seres dialéticos que somos. Kardec analisou, sistematizou, codificou e pesquisou para que nós hoje continuássemos esta extraordinária tarefa de estudar o Espírito: Nós mesmos!

Vejamos um trecho da abertura do mês de janeiro da Revista Espírita de 1860 na pena, claro, do mestre de Lyon Allan Kardec:

O Espiritismo em 1860

Temos o prazer de anunciar que a Revista Espírita dá início ao seu terceiro ano de circulação, amparada pelos mais favoráveis auspícios. É com satisfação que aproveitamos o ensejo para testemunhar aos leitores a nossa gratidão pelas provas de simpatia que temos recebido diariamente. Só isso já seria motivo suficiente de encorajamento, caso não encontrássemos, na própria natureza e no objetivo de nossos trabalhos, larga compensação moral às fadigas que lhes são conseqüentes. Tal é a multiplicidade desses trabalhos, aos quais nos consagramos inteiramente, que se torna impossível responder a todas as cartas de felicitações que nos chegam. Somos, pois, obrigados a dirigir-nos coletivamente aos seus autores, rogando-lhes que aceitem os nossos agradecimentos. Estas cartas, bem assim as numerosas pessoas que nos dão a honra de com elas conferenciar a respeito desses graves problemas, convencem-nos cada vez mais do progresso do Espiritismo verdadeiro, isto é, do Espiritismo compreendido em todas as suas conseqüências morais. Sem nos iludirmos quanto ao alcance de nossos trabalhos, o pensamento de haver contribuído, lançando alguns grãos na balança, é para nós doce satisfação, porquanto essas poucas sementes terão contribuído para despertar a reflexão.”

Estudem, Estudem sempre! Aproveitem instantes como estes, pois para o Espírito são instantes na eternidade, mais um seminário promovido pelo Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro para se esclarecerem. Como bem disse o “Bruxão”, este notável pesquisador espírita Carlos Bernardo Loureiro: “O Espírito que se esclarece, se consola!”

“Muita inquietação filosófica!”[1]

Cristiane Amaral[1]

(Das 5 às 6 horas do início do dia 12 de setembro de 2018)

 [1] (NOTA DA AUTORA) Frase do ilustre pesquisador italiano Ernesto Bozzano.

[1] (NOTA DA AUTORA) Presidente-fundadora do ICECBL em 22/08/2006 na Graça – Salvador – Ba.

 

 

Seminário: “Artigos Espíritas em vários periódicos do Brasil e outros países”

Quando se tem a vastidão do material escrito pelo querido e notável pesquisador espírita kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro sabemos que ele faz parte de um grupo de espíritos esclarecidos e inquietos por conhecimento, pesquisa metódica e racional sem nenhum vestígio da estúpida mistificação.
Sempre esclarecendo a quem queira buscar respostas para as questões mais inquietantes do ser. Do ser reencarnado que somos, livres pensadores que desejam sair do estado miserável de cobaia das lavagens cerebrais das porcas religiões e seitazinhas com seus desdobramentos na tal “ciência” vigente e seus representantes pseudo pesquisadores da fisiologia, psicologia e outros mistificadores medíocres com suas drogas psicóticas que anulam o ser por toda uma reencarnação e vindouras, continuando almas algemadas à terra, têm nesta obra respostas e mais inquietações filosóficas, científicas e éticas.
Aproveitem mais este material para conhecer a trajetória de um espírito autêntico que fez da sua reencarnação, animando a persona de Carlos Bernardo Loureiro o desejo sincero de esclarecer-se e esclarecer, realizando pesquisas de diversas manifestações dos espíritos encarnados e desencarnados, o leitmotiv da sua vida.
Sem esquecer as reuniões de desobsessão no centro, na rua e em qualquer lugar que haja pessoas atormentadas por espíritos da pior espécie que também merecem ajuda. Ele sempre afirmava: “Ajudamos o encarnado e o desencarnado, pois, todos somos vítimas e algozes.” Além das visitas nos hospitais, sanatórios, nas casas das pessoas frequentando ou não o centro espírita que fundou e trabalhou por 43 anos, atendendo por ano mais de 60 mil pessoas.
Isto é o supra sumo da frase: “Ajudar sem olhar a quem.”

Cristiane Amaral
(Presidente-fundadora do ICECBL)
7:50 h – 28/05/2018