Seminário – Abril 2019

Este Seminário é mais uma homenagem a todo o trabalho singular do pesquisador espírita Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro.

Assim, coloquei no Prefácio do Livro que tem a coletânea destes artigos. Mais uma coletânea, infelizmente, muito se perdeu, contudo eu, Cristiane Amaral de Jesus enquanto médium, palestrante, organizadora das monografias das quartas, dos encontros dos Médiuns, secretária do Centro desde 1999 até a sua desencarnação em 2006 encontrei e guardei muito do que a sua ex-esposa, Lúcia Farias, desorganizada, deixou abandonado numa sala em construção. E, logo que se separou dele o vi preocupado e pediu-me que organizasse. E o fiz!

Então, lê-se:

É uma honra divulgar mais um material do querido pesquisador espírita Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro. Esta coletânea é mais um número substancial de artigos em vários veículos de comunicação no Brasil e alguns foram enviados para outros países. Que será lançado este material neste Seminário de 26,27 e 28 de abril de 2019.

Ler e estudar estes textos é adquirir conhecimento que foram esquecidos ou apagados nos ditos Centros Espíritas da Bahia e do Brasil onde só se encontram preguiçosos que mal leram O Livro dos Espíritos. O nosso ilustre polemista e singular pesquisador Carlos Bernardo Loureiro já protestava sobre isto:

“Vou para os Centros Espíritas, que me convidam para fazer palestras, quando pergunto quem já leu os livros da Codificação, ninguém levanta a mão. Outros mal O Livro dos Espíritos. Pergunto sobre os Evangelhos, nem os dirigentes estudaram (…) Aí me questiono, estou fazendo o que aqui. (…)

Se pergunto se conhecem Ernesto Bozzano, Charles Richet, parece que estou falando sobre alguma excrescência. (…) Como ser espírita sem o estudo e a pesquisa? Serão meros frequentadores em busca de cura imediata e salvação.

Só encontrarão estudo num Centro Espírita sério que seja Kardecista, que tenha pesquisa e se respeite os Espíritos.”

Daí, aproveitem um singular e o último bastião da defesa da pureza doutrinária do Espiritismo: Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro. Estudem e participem dos seminários e as pesquisas as manifestações dos Espíritos e desobsessões, buscando sempre a luta contínua de “deixar de ser ruim”. Como bem lembrava por 43 anos o querido dirigente espírita Carlos Bernardo Loureiro: “Não estou aqui para ser bom, e sim, para deixar de ser ruim!”

Cristiane Amaral de Jesus

04/02/2019 às 9:45h

Seminário Revista Espírita 1860

 Nosso terceiro ano realizando no último seminário deste ano o estudo a Revista Espírita elaborada e divulgada com tanta dedicação, organização, pesquisa e raciocínio ímpar pelo mestre de Lyon Allan Kardec. Relembro sempre ter sido o desejo do querido pesquisador espírita Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro ao afirmar que faria um estudo sobre a Revista Espírita. Ainda protestou: “Ninguém fez, nenhum centro espírita aqui na Bahia, nem no Brasil incentiva o estudo da Revista Espírita tão importante para se conhecer o pesquisador francês Allan Kardec! Eu farei, quem estiver aqui verá!” Vimos muitos cursos, palestras, principalmente nas quartas-feiras sobre a Revista, mas não deu tempo para realizar um seminário. Realizei e continuo realizando.

Neste ano de 2018, estudaremos o ano de 1860, mais um ano de muito conhecimento a adquirir com este que é um dos maiores estudiosos da sua época e de vindouras. Além de dedicar sua vida para legar a humanidade a base fundamental teórica e prática da Doutrina dos Espíritos: Ciência e Filosofia com consequências éticas. Lembrando, de novo, e sem nenhum constrangimento, mas reconhecimento a um notável intérprete do pensamento de Allan Kardec, o querido polemista Carlos Bernardo Loureiro: “Até agora não vi nenhuma doutrina que seja melhor! E, olhem que já estudei todas as doutrinas até então! E farei como preconiza o mestre de Lyon Allan Kardec de que se aparecer outra doutrina que supere a doutrina dos Espíritos, então siga!”

Confirmando Bernardo: Não há!

Com toda certeza no estado miserável que se encontra a humanidade não há mesmo, pois só impera o niilismo, a bestialidade das religiões, a violência extrema e ontem, no dia 11 de setembro, marco do exemplo desta violência no ataque terrorista aos Estados Unidos. Demonstração de consequências desastrosas de um império que desgraçou muitas nações por serem pobres e seus territórios ricos de matéria prima. E mais uma vez a truculência e a arrogância dos países ricos que sugam tanto outras nações, mas não são capazes de realizar a solidariedade de sua educação, centros de pesquisa e capacitar assim estas nações repletas de ignorância. Tivemos a notícia da decadência da humanidade ao ouvir a notícia de que mais de 840 milhões de pessoas desencarnam de fome no mundo, e o continente de maior índice é a África que tanto deu diamantes, petróleo e outros bens ao mundo, principalmente a Europa, Estados Unidos, Rússia e China. E o Espírito? E a lei natural? Difícil num planeta que menospreza o Espírito e adora o niilismo!

Assim, como precisamos desde o lançamento d’O Livro dos Espíritos de ter destruído de vez o niilismo e a perversa invenção da “Morte” pelas bestiais religiões. Ao contrário se deu às costas de novo ao Espírito e aos princípios existenciais. Às costas a lei natural e ao “Progresso sem cessar, tal é a Lei! Lembram?!! Esta é a parte final da citação no Dólmen de Allan Kardec no cemitério Père-Lachaise na França:

“Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei!”

Ler o primeiro texto da Revista Espírita de 1860 não só nos anima ainda mais, já que a Doutrina dos Espíritos, sua divulgação e pesquisa, as manifestações dos Espíritos é o leitmotiv da minha vida. Confirmar sempre a estupidez que a sociedade de sua época, as demais, e, até hoje desprezaram o recomeço do bicho homem voltar aos trilhos de seu evolver como espírito reencarnado, livre pensador que deveria lutar para deixar de ser ruim e se esclarecer, pesquisando os fenômenos espiríticos. O que diversas civilizações fizeram antes de Kardec, ocultistas, magnetizadores e o Espírito mais superior que aqui reencarnou Jesus!

Por fim, não desejaram o Espírito e muito menos a pesquisa a mediunidade, pois iniciariam o despertar das potencialidades ontológicas como seres dialéticos que somos. Kardec analisou, sistematizou, codificou e pesquisou para que nós hoje continuássemos esta extraordinária tarefa de estudar o Espírito: Nós mesmos!

Vejamos um trecho da abertura do mês de janeiro da Revista Espírita de 1860 na pena, claro, do mestre de Lyon Allan Kardec:

O Espiritismo em 1860

Temos o prazer de anunciar que a Revista Espírita dá início ao seu terceiro ano de circulação, amparada pelos mais favoráveis auspícios. É com satisfação que aproveitamos o ensejo para testemunhar aos leitores a nossa gratidão pelas provas de simpatia que temos recebido diariamente. Só isso já seria motivo suficiente de encorajamento, caso não encontrássemos, na própria natureza e no objetivo de nossos trabalhos, larga compensação moral às fadigas que lhes são conseqüentes. Tal é a multiplicidade desses trabalhos, aos quais nos consagramos inteiramente, que se torna impossível responder a todas as cartas de felicitações que nos chegam. Somos, pois, obrigados a dirigir-nos coletivamente aos seus autores, rogando-lhes que aceitem os nossos agradecimentos. Estas cartas, bem assim as numerosas pessoas que nos dão a honra de com elas conferenciar a respeito desses graves problemas, convencem-nos cada vez mais do progresso do Espiritismo verdadeiro, isto é, do Espiritismo compreendido em todas as suas conseqüências morais. Sem nos iludirmos quanto ao alcance de nossos trabalhos, o pensamento de haver contribuído, lançando alguns grãos na balança, é para nós doce satisfação, porquanto essas poucas sementes terão contribuído para despertar a reflexão.”

Estudem, Estudem sempre! Aproveitem instantes como estes, pois para o Espírito são instantes na eternidade, mais um seminário promovido pelo Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro para se esclarecerem. Como bem disse o “Bruxão”, este notável pesquisador espírita Carlos Bernardo Loureiro: “O Espírito que se esclarece, se consola!”

“Muita inquietação filosófica!”[1]

Cristiane Amaral[1]

(Das 5 às 6 horas do início do dia 12 de setembro de 2018)

 [1] (NOTA DA AUTORA) Frase do ilustre pesquisador italiano Ernesto Bozzano.

[1] (NOTA DA AUTORA) Presidente-fundadora do ICECBL em 22/08/2006 na Graça – Salvador – Ba.

 

 

Seminário: “Artigos Espíritas em vários periódicos do Brasil e outros países”

Quando se tem a vastidão do material escrito pelo querido e notável pesquisador espírita kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro sabemos que ele faz parte de um grupo de espíritos esclarecidos e inquietos por conhecimento, pesquisa metódica e racional sem nenhum vestígio da estúpida mistificação.
Sempre esclarecendo a quem queira buscar respostas para as questões mais inquietantes do ser. Do ser reencarnado que somos, livres pensadores que desejam sair do estado miserável de cobaia das lavagens cerebrais das porcas religiões e seitazinhas com seus desdobramentos na tal “ciência” vigente e seus representantes pseudo pesquisadores da fisiologia, psicologia e outros mistificadores medíocres com suas drogas psicóticas que anulam o ser por toda uma reencarnação e vindouras, continuando almas algemadas à terra, têm nesta obra respostas e mais inquietações filosóficas, científicas e éticas.
Aproveitem mais este material para conhecer a trajetória de um espírito autêntico que fez da sua reencarnação, animando a persona de Carlos Bernardo Loureiro o desejo sincero de esclarecer-se e esclarecer, realizando pesquisas de diversas manifestações dos espíritos encarnados e desencarnados, o leitmotiv da sua vida.
Sem esquecer as reuniões de desobsessão no centro, na rua e em qualquer lugar que haja pessoas atormentadas por espíritos da pior espécie que também merecem ajuda. Ele sempre afirmava: “Ajudamos o encarnado e o desencarnado, pois, todos somos vítimas e algozes.” Além das visitas nos hospitais, sanatórios, nas casas das pessoas frequentando ou não o centro espírita que fundou e trabalhou por 43 anos, atendendo por ano mais de 60 mil pessoas.
Isto é o supra sumo da frase: “Ajudar sem olhar a quem.”

Cristiane Amaral
(Presidente-fundadora do ICECBL)
7:50 h – 28/05/2018

 

 

SEMINÁRIO: CONVERSANDO SOBRE ESPIRITISMO

Este seminário como todos neste Instituto sempre acentuamos que são em homenagem ao querido pesquisador Kardecista Puro Carlos Bernardo Loureiro com seus livros e artigos que realizou para vários periódicos espiritas e não espíritas no Brasil e no exterior.
Gosto sempre de relatar como foi iniciado a feitura deste inédito livro. Cheguei um dia no Centro que ele fundou e como cuidava do acervo de seus artigos e livros entre outras tarefas como organização dos textos para serem estudados nas quartas, cursos, seminários e encontros dos médiuns. Organização dos dias de palestras e temas junto aos palestrantes para a cada mês os assistidos saberem do que se trataria a palestra. Nas segundas-feiras era exclusivamente do querido Bruxão. Ou esporadicamente se ele quisesse fazer em outro dia de desobsessão.
Daí, neste dia mostrei a ele um grupo de artigos e perguntei se poderia se tornar livro. Ele, prontamente, disse que sim, e, levou para organizar os temas. E o fez! Depois me entregou com o título e pediu que cuidasse para ser lançado.
Como não foi possível na época que estava encarnado, pois, trabalhos dignos como o que ele fez durante 43 anos, ajudando milhares de pessoas não era tão reconhecido pelas próprias pessoas que eram ajudadas o tempo todo. E o financiamento para lançar o livro não aconteceu pela ingratidão de tantos. Havia momentos dele dizer: “Aqui, há médiuns e assistidos que trocam o carro todo ano e, é incapaz de ajudar a casa!”
Assim, neste seminário faremos o que não se conseguiu a 13 anos atrás, pois, foi em 2005 que a conversa acontecera. De modo artesanal, simples, mas, daremos a oportunidade de todos que queiram estudar as obras deste notável pensador espírita kardecista e “último dos moicanos” na defesa do “Espiritismo segundo o Espiritismo”. Palavras dele.
Aproveitem mais este manancial de defesa da pureza Doutrinária do Espiritismo com o livro: “Conversando sobre Espiritismo”.

Cristiane Amaral
26/02/2018 às 10:20h

Seminário

Segundo ano que realizamos o último seminário do ano com o tema A Revista Espírita, sendo este o ano de 1859.

Todo espírita, que se preza, e, realmente, é kardecista puro deve estudar esta obra de 12 volumes e o 13° volume é o índice remissivo. Obra que esclarece o espírito de sua condição de ser imortal, as relações sociais com o encarnado e este com o desencarnado. Fatos incontestáveis sobre aparições, visões, escrita direta, fenômenos de transporte, transfigurações e outros fenômenos. Alertas sobre as consequências desastrosas quando a relação entre os espíritos encarnados e desencarnados não é de respeito, esclarecimento, e, claro, a naturalidade que deveria ser se se admitisse que somos imortais, reencarnados e nos comunicamos nos dois planos corpóreo e incorpóreo. As defesas do mestre de Lyon Allan Kardec as perseguições e difamações perversas e gratuitas ao Espiritismo e ao trabalho do mestre empreendido por mais de 13 anos, esclarecendo e realizando desobsessões àqueles que completamente desequilibrados bateram na porta da Sociedade de Estudos Espíritas de Paris.

A ignorância, descrença e estupidez advindo das lavagens cerebrais das imundas religiões, culminaram neste estado de ojeriza ao espírito e a tudo que se trate dele, nas manifestações dos mesmos e os princípios existenciais. Não é à toa que como bem esclarece o pesquisador espírita kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro: “Quando houve o lançamento d‘O Livro dos Espíritos, não há mais necessidade da religião! (…) os religiosos ficaram enlouquecidos com as idéias ali divulgadas. Destrói todas as suas farsas e ilusões. Não foi sem demora que iniciaram o ataque a Kardec e ao Espiritismo! ”

Assim, o Espiritismo passou a ser rechaçado como ruim, indigno e demoníaco. Enquanto a violência, as perversões sexuais, corrupções, desespero, suicídios e vícios assolam a humanidade por conta desta negação ao Espírito e as responsabilidades éticas de nossas atitudes impensadas até brutais a lei natural, gerando consequências terríveis. E as religiões? Mergulhadas em escândalos de pedofilia, perversões outras, corrupções, assassinatos, sequestros, tráfico humano, prostituições e milhões ainda acreditando nestes monstros.

O esclarecimento é a única alternativa para o Espírito se se quiser sair do estado miserável que se encontra. Haja vista que é a falta de raciocínio lógico e de pesquisa as manifestações dos Espíritos que fizeram milhões acreditarem na estúpida invenção chamada Morte e na inexistência do Espírito, e, ainda, se verem espantados quando informamos que a religião católica matou 25 milhões na inquisição, sem contar as outras religiões que da mesma forma para se impor foram responsáveis por outros genocídios.

Estudem as obras do Mestre de Lyon Allan Kardec! Como bem esclarecia o querido pesquisador Carlos Bernardo Loureiro: ‘Estude Kardec, depois questione”.

E, mais, continuando com o querido pesquisador: “Precisamos resgatar o conceito de Espiritismo. Ninguém conhece o Espiritismo aí fora (…) confundem o Espiritismo com fetichismo. ” 

Cristiane Amaral de Jesus

9:50 – 06/09/2017

Seminário

Este como todos os Seminários deste instituto serão com livros e outros escritos do querido pesquisador Kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro. O tema é a realização do que o mestre de Lyon Allan Kardec tanto quis fazer e não deu tempo. Contudo o escritor, polemista, pesquisador Carlos Bernardo Loureiro, que por mais de 40 anos trabalhou com as dores alheias, conseguiu este feito.

Neste livro verão os primórdios antes do mestre de Lyon admitir, estudar, pesquisar e divulgar o Espiritismo; as idéias que nortearam sua vida; os ideólogos estudados por ele; suas obras antes e depois que assumiu codificar e raciocinar a filosofia, ciência e a ética da Doutrina dos Espíritos.
Com o lançamento desta obra no centro que fundou, em 1999, antes curso nas terças-feiras desde janeiro de 1995, conclui mais uma obra fundamental para o estudo e consulta bibliográfica sobre o Espiritismo, sua origem, importância e referência para futuras pesquisas desta racional, metódica e dialética Doutrina.

Entre tantos textos dirigidos oralmente pelo ilustre e admirado autor Espírita Kardecista puro baiano sobre esta obra, escolhi esta: “Estou realizando um desejo de Allan Kardec!”

Cristiane Amaral
03/06/2017 às 7h00

Seminário

Este ano de 2017 inicia com a constatação clara de nossa luta para manutenção de um trabalho único em defesa da pureza doutrinária do Espiritismo e a pesquisa dos fenômenos espiríticos sejam eles mediúnicos e, ou anímicos.

Completados 10 anos de muita luta e resistência em uma terra que nega o Espírito e não há mais centros espíritas Kardecistas, e sim, palhaços que querem encher seus redutos com a divulgação de alternativas estúpidas vindo do oriente, psicoterapias fajutas, psicologias estas que negam o Espírito, e, como bem acrescentava o querido pesquisador Espírita Kardecista puro, Carlos Bernardo Loureiro, “no currículum do curso de psicologia não há estudo sobre o Espírito! ”

O seminário, primeiro, deste ano terá como sempre colocamos, temas estudados, discutidos, ministrados cursos nos 43 anos e escritos em livros, e, agora, os seus artigos em jornais da capital de Salvador, do sempre admirável polemista Carlos Bernardo Loureiro que muito colaborou e continua trabalhando com o semelhante nos dois mundos corpóreo e incorpóreo.

Aproveitemos sempre estes momentos para estudar e buscar respostas que são tão fortes no Espírito que nos anima, e, em muitos séculos não encontrávamos respostas. Fora os períodos terríveis em que as lavagens cerebrais das religiões e seitazinhas com suas variações em diversas instituições sociais, políticas, econômicas e filosóficas que nos fanatizaram, impedindo de ter até questões a fazer sobre o porquê estamos vivos; o porquê dos sofrimentos; o porquê da luta que pode nos parecer inútil diante de tanto niilismo; o porquê da tal morte. E tantas outras como ainda não controlarmos o ódio ou as atitudes que nos acometem sem estarmos pensando sobre. Mais e mais veremos nestes artigos tão lidos no ano de 1999 e que muitos, como os pseudo-espíritas, religiosos, protestantes e outros lacaios, tentaram proibir sua circulação.

Cristiane Amaral de Jesus

(Fundadora e presidente do ICECBL)

06/02/2017, 15h05min

Endereço e Contatos

Se você deseja vir até o Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro, o endereço é:

Rua Escrivão Marques Filho, 11 – Brotas. Salvador, Bahia.

Não há telefones de contato, mas quem desejar maiores informações, pode enviar email* para contato@icecbl.com.br / webmaster@icecbl.com.br ou, em caso de assunto de cunho privado, enviar email diretamente para a Presidente do Instituto, através do cristiane@icecbl.com.br.

 

*Ficam os internautas/visitantes do site cientes que os e-mails enviados e no seu conteúdo seja identificado qualquer crítica ao Instituto – aí incluindo as suas normas, procedimentos, linha adotada quanto a questões intimas da instituição -, ferindo a pureza doutrinária do Espiritismo, com ofensas ou não a pessoas do Instituto, ou tentando denegrir a imagem do Professor Carlos Bernardo Loureiro, poderão ser elas respondidas e/ou publicadas, a critério da Instituição.

Ninguém é obrigado com relação à comunicação (o envio de mensagens é livre), mas o Remetente consente com o quanto disposto acima, ainda que tacitamente.

Dúvidas de caráter pessoal, íntimo, sempre foram e serão respeitadas quanto ao seu sigilo, desde que não se enquadrem no disposto acima.

Seminário

É sempre uma grande alegria realizar mais um seminário neste Instituto que no dia 22 de agosto completará 10 anos. Muitos imbecis pseudo-espíritas disseram que era ‘fogo de palha’. Pois é! Que fogo que já dura tanto.

Este seminário como todos, já divulgo a uma década, são sempre obras espíritas pesquisadas e escritas pelo querido pesquisador espírita kardecista puro Carlos Bernardo Loureiro que sempre ressalto ser um espírita kardecista puro de ‘três costados’, expressão usada por ele para se referir a corifeus do Espiritismo, autênticos e leais a pureza doutrinária. Agora uso para ele.

O seu livro “O Túnel e a Luz” como todo livro de um estudioso kardecista tem uma sequência racional, lógica e metódica, pois, os temas deste, lançado em 1994, vão sendo desdobrados ao longo de outros nos 40 anos dedicados a pesquisa dos fenômenos espiríticos e na divulgação da pureza doutrinária do Espiritismo.

Gostaria de finalizar este folder com um fragmento do primeiro parágrafo que este notável polemista escreveu no seu “A título de introdução” do livro em questão:

“Allan Kardec sentiu que a Doutrina Espírita necessitava de uma base científica. Afirma ele, a propósito: ‘Não foram os fatos que vieram depois para confirmar a teoria, mas foi a teoria que surgiu subsequentemente para explicar e resumir os fatos. E portanto é rigorosamente exato dizer que o Espiritismo é uma ciência de observação e não produto da imaginação. Como nasceu esta ciência?’ E o próprio Kardec que responde: ‘A Doutrina Espírita não foi ditada palavra por palavra, nem importa à crença cega; foi deduzida pelo trabalho do homem, pela observação dos fatos’. Na verdade, a ciência Espírita (relação humana) foi obra de Kardec. Ele estabeleceu a distinção entre Espiritual e a Revelação Humana”.

Cristiane Amaral

(Fundadora e presidente do ICECBL)

14/07/2016, 13h10min

Esta data têm um caso curioso, por 12 anos médium deste querido bruxão, ouvi críticas que ele fazia sobre o estado de ignorância sobre esta data que representava um marco historico para o povo francês e inicio da construção de uma proposta política, ainda em fecundação, de direitos igualitários, a partir sim, da Queda da Bastilha para o Ocidente, claro.

O querido professor Carlos Bernardo Loureiro, gravado em cd, referia-se a uma repórter de televisão local que perguntava a alguns pedestres no centro de Salvador sobre esta data, e afirmando ser homenagem a Queda da Bastilha. Todos não sabiam da data ou reprimiam a profissional ao perguntar a eles sobre esta “coisa”, já que estavam “preocupados com a inflação”; ou “que em Brasília”, centro do poder do país, “eles sempre estavam quebrando alguma coisa”. Ou até se era “algum remédio para dor de cabeça”.

E daí, Bernardo questionava: “Como este povo pode entender o Espiritismo?”

Ele sempre correto, raciocínio lógico e crítico, pois constata-se todos os dias esta ignorância e estupidez em maior grau nestes dias. Acrescentando depois de 10 anos de sua desencarnação e nos meus 22 anos como espírita kardecista puro é revoltante assistir o que fazem nos ditos centros espíritas com a doutrina, de alternativas idiotas mistificadoras orientais a cantos religiosos.

Tudo para destruir o esclarecimento aos espíritos que pedem ajuda e a pesquisa espiritica.12